domingo, setembro 28, 2014

Até onde você iria por seus valores?


Após seis anos de sua estreia, resolvi assistir o filme Into The Wild. Relutei em vê-lo por motivos desconhecidos e me arrependo por isso. Este é o tipo de filme que deve ser visto de tempos em tempos, para reflexão. Com aproximadamente duas horas e vinte minutos de duração, a história relata a vida do recém-formado Christopher McCandless e é uma verdadeira lição de vida. Dirigido pelo também ator e produtor Sean Penn, o material serve como uma chacoalhada para qualquer um que o assista.
O filme, baseado no livro que tem o mesmo título, expõe a vida de McCandless. O estudante, nascido em berço de ouro, porém imerso em brigas e infelicidade, resolve deixar o diploma e a família para trás (além de pouco mais de 24 mil dólares doados a uma instituição de caridade) e seguir seu sonho: viver fora dos padrões da sociedade. No auge de sua juventude, ele abandona seu carro, queima o resto do dinheiro restante e, com uma mochila nas costas, segue por algumas cidades dos Estados Unidos e México em sua jornada para o Alasca. Em uma junção simbólica de palavras, Christopher muda sua identidade para Alex Supertramp – tendo numa tradução grosseira o sobrenome “super vagabundo” –, conhece diferentes estilos de vida, dedica-se a anotar seus sentimentos, lista diferentes coisas aprendidas durante a jornada e aprende viver sem a necessidade ou dependência do dinheiro – e do consumo exacerbado de produtos listados pela sociedade como “indispensáveis para sua felicidade”.
Casa cheia, filhos perfeitos, carro do ano… Inúmeras são as imposições da sociedade a fim de nos mostrar o verdadeiro “caminho” para a felicidade plena. Porém, existe um pequeno detalhe durante esse trajeto, o qual muitos esquecem de enxergar: o próprio caminho. Como Supertramp, muitos são os que dizem sentir desprezo pelas regras impostas pela sociedade, porém, na hora de tirar proveito das facilidades, o fazem sem lembrar dos valores. A diferença do jovem de 23 anos da história foi a audácia e coragem de seguir à risca seus ideais. Ele deixa o conforto e segurança e se arrisca entre caronas, dormidas em sua barraca de acampamento e em uma Kombi abandonada a qual ele nomeia de Ônibus Mágico. O jovem aprende que a felicidade encontra-se nos momentos mais simples da vida e, em um desfecho emocionante, ele lista sua última descoberta: a felicidade só se torna real quando compartilhada. Compartilhada não significa exposta, para provocar inveja alheia – apenas um adendo.
E esse erro começa na infância. Enchemos nossos filhos – sobrinhos, afilhados – de presentes no Dia das Crianças, Natal, aniversário ou qualquer outra data comemorativa que incite a troca de presentes materiais. Compramos o brinquedo mais caro a fim de ver a felicidade estampada em seus rostos. Na adolescência, os enchemos de viagens, festas, roupas e perfumes caros. Pagamos a escolar mais cara, o curso de inglês renomado e exigimos que eles andem com gente “bem-apessoada”. Faculdade cara, carro do ano… E durante esses, pelo menos, 22 anos, esquecemos, em meio a tanto trabalho e obrigações, de dar o básico: um real ensino. A importância de mandar uma cartinha aos avós dizendo o quanto os ama; tirar fotos com os amigos (e não autorretrato para postar em rede social) e revelá-las, para mais na frente sentir naquela imagem a felicidade que foi aquele momento; respeitar e exercitar a paciência no momento de discordância entre você e seus pais ou irmãos. Esse é o segredo da felicidade – o que me faz pensar que seja o segredo da vida.
Enfim, de volta ao filme. Interpretado por Emile Hirsch, a obra exala riqueza cultural entre gerações em cada personagem. Estimula o espectador a refletir sobre valores, por mais que não queira. Cada discurso elaborado, com suaves pinceladas de grandes filósofos comoDavid Thoreau e Leo Tolstoy, torna-se pura psicanálise. Não só Hirsch, mas todo o elenco esbanja simplicidade e beleza, diferente das grandes películas Hollywoodianas. Não sou especialista no assunto, mas não posso deixar de falar sobre alguns aspectos reveladores do filme, como a ótima fotografia. Cada imagem, cada paisagem torna-se mais deslumbrante à junção da trilha sonora que, por sinal, cai como uma luva em cada pedacinho do filme. A trilha é assinada pelo vocalista do Pearl Jam, Eddie Vedder, que magnificamente traduz em poesia o encaixe perfeito para o enredo do longa. Um trabalho no mínimo tocante, onde expõe a paixão do homem pelo simples, pela natureza e nos põe a repensar sobre nossas prioridades na vida.Totalmente obrigatório e, acima de tudo, inspirador.
Just remember: “Hapiness is only real when shared”.

sábado, setembro 27, 2014

Namore uma mulher que viaja sozinha


Namore uma mulher que viaja. Namore uma garota que prefere guardar dinheiro para viagens fora da cidade ou um dia de viagem em vez de comprar novos sapatos ou roupas. Ela pode não estar na moda, mas por trás daquela pele com sardas e bronzeada de todos os dias de sol, encontra-se uma mente que pode te levar para lugares e um coração aberto que levará para o que você é, não para o que você pode ser.
Namore uma mulher que viaja. Você vai reconhece-la pela mochila que ela sempre carrega. Ela não vai estar carregando uma bolsa delicada de mão; onde ela vai colocar seu diário de viagens, suas canetas e sua lanterna que está sempre presa ao zíper da sua mochila? Em uma bolsa pequena, como ela pode trazer o rolo de corda de viagem, os lenços umedecidos, a caixa de biscoito e uma garrafa de água que ela tem sempre em mãos, apenas no caso de alguma coisa acontecer e ela não poder ir para a casa ainda?
Sim, uma mulher que viaja sabe que a qualquer hora alguma coisa pode acontecer e ela deve estar preparada para isso. Nada a pega de surpresa; ela leva tudo com imparcialidade, sabendo que essas coisas farão sempre parte de sua vida. Ela é confiável e segura, características que ela aprendeu enquanto estava na estrada.
Você também vai reconhecer uma mulher que viaja pelo fato de ela estar sempre maravilhada com o mundo em sua volta, não importa se ela está em sua cidade natal ou em um lugar que lhe é totalmente novo. Ela vê a beleza em toda sua volta, não só os destaques dos guias de viagens ou os que são mostrados em cartões postais. A mulher que viaja tem desenvolvido uma profunda apreciação pela vida. Ela não vai te julgar ou te pressionar para fazer coisas que você não quer. Ela entende muito sobre a importância de identidade e auto-eficácia e ela vai apreciar muito mais se você não fingir ser o que você não é.
Você pode cometer erros com uma mulher que viaja e você também pode ter uma forma incomum de se portar perante a sociedade. Confie em mim, ela viu muita coisa pior em suas viagens e ela sabe em primeira mão os caprichos da natureza humana.
Namore uma mulher que viaja porque quando você está com ela, você vai perceber que mesmo que ela tenha cochilado em um templo no Angkor Wat, passeado de gôndola no Mekong Delta, corrido nas ruas de Saigon ou nadado pelada nas cavernas das Filipinas, ela ainda retém aquela humildade que é a marca de um verdadeiro viajante. Ela sabe que ela esteve em muitos lugares, mas ela é humilde pelo fato que o mundo é ainda um lugar enorme e ela tem visto apenas um pequena parte disso. Enxergar isso nela pode fazer você se sentir bem consigo mesmo; não é preciso você fazer mais nada para ser mais. O que você é já é suficiente.
Quando você encontrar uma mulher que viaja, pergunte a ela onde ela esteve e para onde ela está indo. Ela vai adorar o seu interesse e, se você tiver sorte, ela pode te convidar para se juntar a ela. E quando ela o fizer, vá. Nada une melhor as pessoas do que viajar. Em suas viagens, vocês irão enxergar as melhores e piores características de ambos e você poderá então decidir se a luta por ela vale a pena.
É muito fácil namorar uma mulher que viaja. Ela não vai querer presentes caros; você pode comprar pra ela (ou para vocês dois) passagens baratas para a Tailândia para o final de semana e ela ficará mais do que feliz de te levar para a maior ponte de madeira do país. Você não precisa cruzar o oceano; você pode levá-la para sair em viagens de um dia para uma caverna ou trilha ou presenteá-la com uma massagem.
Você pode comprar também coisas que ela teima em esquecer de comprar para si mesma; aquele gancho que prende a mochila dela no assento para que ela possa se sentir mais confortável ao dormir em uma viagem de ônibus, ou uma capa para a mochila, um pequeno despertador, um cinto de dinheiro, ou talvez outra calça sarongue no lugar daquela que ela perdeu na China.
Ela não vai se importar se você se perder no seu caminho para um encontro. Ela sabe que muitas vezes a jornada é mais importante que o destino. Ela vai te ajudar a ver o lado mais tranquilo das coisas. Ela vai caminhar ao seu lado, não atrás de você, apontando as coisas interessantes que vocês verem pelo caminho. Muito antes, você irá perceber que sim, a jornada tem sido mais memorável que o lugar que você planejou levá-la.
Uma mulher que viaja vale a pena? Sim, vale. Então quando você encontra-la, segure-a. Não a perca com suas inseguranças e dúvidas. Porque se ela diz que te ama, ela realmente ama. Afinal, ela tem visto tanta coisa, conhecido tanta gente, e se ela escolheu você, melhor pegar essa oportunidade e agradecer aos deuses por você ter sido sortudo o suficiente para ela ter te escolhido e não aquele cara que ela conheceu enquanto assistia o nascer do sol em Angkor Wat ou enquanto praticava rafting no Padas Gorge em Sabah.
Se ela diz que te ama ela deve ter visto algo em você, algo que sempre pode chama-la de volta de suas viagens, algo em que ela pode ancorá-la para o mundo do jeito que ela quer depois de semanas e meses na estrada.
Namore uma mulher que viaja. Faça ela se sentir segura, aquecida e protegida. Faça ela acreditar que não importa onde ela vá e nem quanto tempo ela fique longe, você estará lá para ela, onde ela pode chamar de lar.
Encontre uma mulher que viaja. Namore-a, ame-a, case-se com ela e o seu mundo nunca será o mesmo de novo.

Ruínas


Essas Ruínas
tão vagas, e desprezíveis
pois então, contruí.

Arte,
nesse patente
do imponente.

No escuro,
de almas que vagam
por ai.

Jacqueline Moraes

Viaje e você será uma pessoa melhor!

As pessoas sempre me perguntam como viajar mudou a minha vida. Se eu olhar pra trás e ver como eu era antes das minhas viagens, e comparar com a pessoa que sou atualmente, eu diria que viajar certamente me fez uma pessoa muito melhor e mais centrada. Me considero muito mais interessante e descolado agora do que quando eu tinha meus 20 e poucos anos. Simples assim, minha evolução como pessoa nos últimos 5 anos foi gigantesca.


De fato, eu acho que viajar faz com que qualquer pessoa se torne muito mais atrativa. Todos nós terminamos nossas viagens muito melhores do que quando as começamos. É do princípio humano aprender com cada experiência vivida. Não estou dizendo isso para parecer convencido ou egocêntrico; estou dizendo isso porque eu acredito que viajar é algo que te faz não só um ser humano melhor, mas alguém acima da média também. Mas, você deve estar se perguntando: "Como e por que viajar te faz uma pessoa muito melhor?" Deixe-me lhe contar então o porque penso desta maneira.
Mais social - É tudo ou nada quando se está viajando. Ou você começa a fazer amigos ou irá terminar sua viagem completamente solitário, chorando sozinho todas as noites em seu travesseiro. Você aprende a fazer amigos que antes eram meros estranhos e se torna mais confiante ao falar com novas pessoas. Quando eu comecei a viajar, me considerava muito tímido e dificilmente iniciava uma conversa com algum estranho. Hoje em dia, eu conversaria com um estranho como se fossemos amigos de longa data.
Papos mais cabeça - Viajar não só te faz mais seguro ao conversar com estranhos, como também te faz ter uma conversa mais agradável. Após conversar com tantas pessoas "na estrada", repetindo sempre as mesmas questões, você começa a se sentir um pouco entediante. Depois de um certo tempo, você não quer saber mais de que cidade ou país tal pessoa é, por quanto tempo já estão na estrada, e bla bla bla. Este tipo de conversa, na verdade, não acrescenta em nada. Você se tornará melhor em desenvolver conversas corriqueiras e a fazer questões mais interessantes - questões que realmente valem a pena e que te contam um pouco mais sobre a pessoa com a qual está conversando.
Mais confiante - Você viajou o mundo. Caminhou sobre a Muralha da China, passeou com tigres e elefantes na Tailândia, comeu polvo-vivo na Coréia do Sul, bebeu sangue de cobra no Vietnã, aprontou coisas da qual nem se lembra em Amsterdam e Las Vegas, conheceu todo o romantismo de Paris com sua namorada francesa e venceu o seu medo de altura saltando de paraquedas no Arizona. Ou seja, você fez coisas incríveis na sua vida. Como você não vai se sentir mais confiante depois disso tudo? Como você vai duvidar de suas habilidades? Depois de ter conquistado tantas coisas, você se sentirá muito mais confiante na sua habilidade de realizar qualquer coisa que esteja disposto a fazer.
Mais versátil - Você já teve que lidar com voos perdidos, ônibus vagarosos, caminhos equivocados, atrasos, intoxicação alimentar devido aquela comida de esquina, e muito, muito mais. Depois de um tempo, você aprende a se adaptar as situações inesperadas. Você não se irrita, você não fica nervoso, você simplesmente altera seus planos e continua seguindo em frente. A vida te dá limões e você faz limonadas. Por que? Porque você se torna um ser humano muito melhor a cada viagem.
Mais aventureiro - Quando você acredita mais em seu potencial para fazer algo, você se torna capaz de fazer qualquer coisa. Quando estive na China, estava passeando pelas ruas de Beijing e vi estas barraquinhas de comida vendendo iguarias grotescas como escorpião, grilo, centopéia e mais. Resolvi experimentar um de cada, por que? Porque era uma experiência nova e sinto que não há nada que eu não possa fazer.
Mais despreocupado - Todos aqueles erros? Serviram para alguma coisa no final. Eles te tornaram uma pessoa mais relaxada e tranquila. Por que? Porque você resolveu todos os problemas ocorridos durante suas aventuras, e agora você nem se importa mais que eles tenham ocorrido. Você aprende a seguir o fluxo, porque se tem uma coisa que viajar te ensina; é que no final tudo dá certo e não há necessidade nenhuma de se estressar.
Mais sexy - Stress envelhece pessoas. Aqueles dias despreocupados, relaxantes e no-stress na estrada farão de você uma pessoa mais confiante, radiante e jovem. Você, de fato, terá uma aparência mais jovem e sexy. Como dizem por aí, você será como vinho; "quanto mais velho, melhor".
Mais esperto - A menos que você seja daqueles viajantes que sentam a beira da piscina se afogando em coquetéis, viajar com certeza lhe ensinará muito a respeito do mundo em que vivemos. Você aprenderá sobre novas culturas, história, pessoas e enigmas sobre lugares que certas pessoas nem sonhariam a respeito. Em resumo, você compreenderá melhor como as coisas funcionam e como as pessoas se comportam em diferentes sociedades e culturas. E acredite, isso é algo que não pode ser aprendido em livros; você só terá esta visão depois de por o pé na estrada.
Menos materialista - Na estrada, você aprenderá a dar valor somente aquilo que você realmente precisa. Você perceberá que todas essas quinquilharias vendidas em shopping centers são inúteis no que diz sentido a ter uma vida realmente feliz. De volta pra casa, você descobrirá o quão simples você pode ser, separando as coisas que você precisa pra viver e o que você não precisa. No final, você finalmente descobrirá que quem possui as coisas é você, e não o contrário.
Mais feliz - Viajar simplesmente te ensina como ser feliz. Você se sentirá mais tranquilo, mais confiante, e a ver o mundo como um lugar melhor para se viver. Como você não se sentirá feliz tendo esta opinião?Pense um pouco sobre os famosos e celebridades ao redor do mundo. Quantas destas qualidades estas pessoas possuem? Todas. Por que? Porque ser mais extrovertido, engraçado, sociável, feliz, confiante, sexy e esperto são as qualidades que pessoas de sucesso precisam em seu cotidiano.Viajar faz humanos, pessoas muito melhores. Quando você aprende mais sobre o mundo em que você vive e as pessoas que o habitam, você derruba fronteiras, experimenta coisas novas, você se torna mais aberto, extrovertido, e um ser humano melhor.
Todas as pessoas que conheci na estrada são pessoas melhores, por causa disso. Com todas as razões e motivos apresentados acima de como viajar pode te tornar uma pessoa melhor, não faz sentido você ficar aí parado e não começar a planejar uma viagem agora mesmo - quer seja uma volta ao mundo ou um fim de semana em algum lugar, no qual você nunca esteve antes, dentro de suas possibilidades financeiras é claro.Você pode ficar sentado em casa, desejando que você tivesse outra vida ou estivesse em outro lugar, se divertindo, e fazendo algo realmente legal. Ou você pode arregaçar as mangas e mudar a sua vida a partir deste momento! A escolha é sua!
Texto redigido por Vitor Oliveira e Mayke Moraes (Equipe 1000D)
Mayke Moraes: Sou um mochileiro que esta na estrada desde 2008. Morei por dois anos no Alasca (EUA) e por quatro em Dublin (Irlanda). Sempre trabalhando muito e juntando dinheiro pra pagar minhas despesas. Já visitei 43 países e não descansarei enquanto não pisar em 100 nações. Compartilho essas aventuras em minha página (facebook.com/1000dadm), assim como várias dicas de como viajar barato, para as pessoas que erroneamente acreditam que é preciso ser rico pra conhecer o mundo.

Aplicativos Para Viajar

 Só quem vive em determinado lugar sabe quais são os melhores passeios para se fazer em sua cidade. Aquele bar cheio de gente bonita e com drinks bacanas, o restaurante que vende a melhor coxinha, ou aquele teatro escondido que tem as melhores peças em cartaz. Quando vou viajar, além dos pontos turísticos que todos já ouviram falar, morro de vontade de conhecer os lugares do cotidiano de quem mora por lá. Adoro comparar o estilo de vida das pessoas, sempre acabo descobrindo coisas bem curiosas, hahaha. Como Geovannis foi pra Europis e me abandonou, resolvi me inspirar nela e fazer um post com aplicativos muito úteis e que facilitam a vida em uma viagem!

Mtrip 
Um guia turístico que filtra pela sua localização os pontos mais badalados, restaurantes, lojas… tudo o que estiver por perto. Você consegue traçar rotas e ele te indica qual a melhor alternativa para chegar ao seu destino. Fora que você pode programar horários e ele ainda desperta pra não te deixar esquecer!

Allsubwayhd
 Esse aplicativo disponibiliza mapas de metrôs em mais de 150 cidades desse mundão. O melhor é que ele funciona offline, então caso esteja sem internet, não precisa se desesperar, perdida no metrô você não vai ficar!

Free Wi-Fi Finder 
 Acho que esse é um dos mais úteis na real, pois com a internet na mão o google faz o Superman e nos salva de quase toda enrascada. O aplicativo encontra pontos de Wi-Fi gratuitos disponíveis perto de você. Mas pra ele funcionar, antes você precisa acessá-lo de alguma rede para conseguir baixar o conteúdo offline. Depois de fazer isso, você conseguirá usá-lo tranquilamente.

Sit or Squat 
Achei esse aplicativo genial! Ele mostra de acordo com a sua localização os banheiros públicos mais próximos e conta com avaliações e observações de pessoas que já usaram esses banheiros. Agora não precisamos mais chegar no final do dia com a bexiga explodindo no hotel por não encontrar nenhum banheiro aceitável, hahaha.

VerbalizeIt 
 O VerbalizeIt é um tradutor, porém, um pouco diferente. Ele conta com pessoas 24h por dia disponíveis para te ajudar a traduzir o que você precisar. Demais, né? Às vezes, mesmo sabendo um pouco da língua local, acabamos nos confundindo com expressões e gírias que só quem vive há bastante tempo no lugar conhece, e a maioria dos tradutores tradicionais não oferece esse tipo de “serviço”. Zuper útil!

Aroundme
 O Aroundme é ótimo para quando precisamos de algum serviço e estamos sem tempo para sair procurando por aí. Ele acha todos os comércios que estiverem por perto, como farmácias, postos de gasolina, bancos, entre outros. Perfeito para os momentos de desespero, hahaha!

Right Size 
 Vai te ajudar na hora de comprar os presentinhos pra galera. Como em alguns lugares as medidas e numerações de roupas e calçados são diferentes, ele converte e nos ajuda a descobrir qual o tamanho certo. Ele ainda cria uma lista de pessoas em que você pode adicionar informações para não esquecer de ninguém e nem confundir presentes :D

Trip Organizer
 Ele faz um checklist de tudo o que você vai precisar para ir viajar. É essencial para viagens internacionais, pois tem foco em coisas mais específicas como visto, passaporte, documentos e vacinas que alguns países exigem.

Hostelworld
Para quem quer economizar, os hostels são uma ótima opção. Com esse aplicativo você consegue encontrar hostels disponíveis pelo mundo inteiro e ainda conferir a avaliação de quem já se hospedou em cada um deles para ter certeza de que não está entrando numa fria.

Espero que tenham gostado e me contem se já tiverem usado esses aplicativos ou algum parecido! 


Jacqueline Moraes

Youtube: Canais de viagens


Já contei pra vocês que uma das coisas que mais acaba com o meu tempo é o Youtube, né? Estou lá estudando, quando resolvo assistir um vídeo e assisto outro, outro, mais um, só mais um… quando vou ver já perdi um tempão de trabalho, hahaha. Os vídeos que mais me prendem com certeza são vídeos de viagens, mostrando lugares e culturas diferentes.
Selecionei para vocês cinco canais do Youtube que tem vídeos ótimos sobre viagens para diferentes destinos.
O Fábio mora na Australia e divide um pouco de tudo com a gente no seu canal, Let’s Go Fabio. Além de super informativos os vídeos dele tem uma edição bem legal que faz realmente a gente querer continuar assistindo. Ele faz um ótimo trabalho, vale a pena se inscrever! :)

 Magrelo é um cara super divertido de Goiânia que mora em Londres e faz vários vídeos falando sobre a experiência de viver em outro país. Além dos vídeos comparando absurdos do Brasil com a realidade em Londres ele também fala de trabalho, turismo… 


 O canal KuniSpace é atualizado por três irmãos brasileiros que moram no Japão. Tem vários vídeos muito legais mostrando coisas da cultura japonesa, costumes, lugares para visitar, passeios diferentes. Os caras são engraçados e você nem vê o tempo passar enquanto assiste. Pena que eles não atualizam já faz um tempão, mas tem vários vídeos ótimos por lá.



No E-Dublin TV você acompanha as experiências de pessoas que trocaram o Brasil pela Irlanda. Além de muitas dicas sobre intercâmbio, visto, turismo, trabalho também tem algumas conversas mais informais bem divertidas, todas, claro, tomando uma Guinness! Hahaha.



O canal da Camila Cabral não é só sobre viagem, mas ela produziu vídeo muito legais sobre Toronto, no Canadá, durante o ano que morou por lá. Ela acabou de voltar para o Brasil, mas no canal tem muita coisa sobre a cidade, vale a pena conferir.

New York

Fazem quase 2 anos que estive em NY pela primeira vez. Nunca imaginei na vida que um dia fosse estar ali, naquela cidade que eu admirava tanto por filmes, séries e livros. A paixão por NY aconteceu logo no primeiro dia: que cidade incrível! Era tudo que eu conseguia pensar em cada esquina que me fazia sentir dentro de um seriado. Quem diria que eu ainda teria a oportunidade de visitar a cidade mais vezes depois daquela? Hoje a certeza é uma só: New York é a cidade mais legal do mundo (desculpa, SP).
Estava fuçando nas minhas pastas de fotos e decidir editar umas fotos que tirei na minha primeira viagem. Espero que gostem! <3










quinta-feira, setembro 25, 2014

Namore um homem que viaja

Namore um homem que viaja. Namore um homem que valoriza a experiência ao invés de videogames, uma pulseira de tecido feita à mão ao invés de um Rolex. Namore um homem que pula de alegria quando ouve as palavras “férias”, “tudo incluso” ou “resort”. Namore um homem que viaja porque ele não é levado por um único objetivo, mas sim por vários.
Você pode encontrá-lo em um aeroporto ou em uma livraria olhando os guias de viagem – embora ele só os “usa como referencia”.
Você saberá que é ele porque quando você der uma olhada na tela do computador dele, o plano de fundo será um esplêndido cenário de colinas, montanhas ou bandeiras de oração. A quantidade de amigos no Facebook dele será enorme e sua timeline estará repleta de mensagens de seus amigos dizendo “saudade”, amigos estes que ele conheceu ao longo de sua jornada. Quando ele viaja, ele faz amigos para uma vida toda em apenas uma hora. E embora o contato com esses amigos seja esporádico e eles estejam distantes, suas fronteiras são sem limites e se ele quisesse, ele poderia viajar o mundo apenas se hospedando nos sofás da vida por aí... de novo.
Pague uma cerveja a ele, talvez da mesma marca da regata que ele usa por baixo da camisa xadrez. Quando um viajante chega em casa, as pessoas raramente ouvem suas histórias. Então ouça as dele. Talvez ele fale rápido e perca alguns detalhes, mas é porque ele fica muito animado ao ser ouvido. Embarque no entusiasmo dele. Queira isso para si mesma.
Ele vai pular de alegria como uma criança quando a última edição da National Geographic aparecer em sua caixa do correio. Então ele vai ficar quieto, absorto nas imagens até que ele termine de analisar cada foto, cada aventura. Na cabeça dele, é como se ele estivesse lá, naquelas fotos. Ele vai passar a revista para você e, querendo competir, vai te perguntar qual foi a sua maior loucura. Diga a ele. E saiba que ele provavelmente ganhará de você. E se, por acaso, você ganhar, saiba que a próxima meta dele será te superar. Mas aí ele vai dizer: “talvez a gente possa fazer isso juntos”.
Namore um homem que conversa sobre lugares distantes, cujas mãos tenham explorado as ruínas de civilizações antigas e cuja mente tenha imaginado aquelas mãos cavando, esculpindo e pintando as maravilhas do mundo. E quando ele conversa, é como se ele estivesse revivendo isso com você. Você pode quase ouvir as batidas do coração acelerado dele. Você pode quase sentir a adrenalina do momento. Você sente isso passando através de seus neurônios, um banquete para seus olhos entrando através daqueles minúsculos oráculos que chamados de pupilas, digerindo rapidamente através de suas veias, manifestando-se pelo seu sistema nervoso, transformando e alterando a visão do mundo como um trauma reverso e finalmente passando, mas eternamente mudando as cores da paisagem. Você vai desejar isso tudo pra si também.
Namore um homem que tenha vivido com uma mochila porque ele vive mais feliz com menos. Um homem que viaja viu a pobreza e já jantou com aqueles que vivem em um pequeno barraco sem água e ainda assim recebem com boas-vindas os desconhecidos com mais hospitalidade que os ricos. E porque ele viu isso, ele tem enxergado como a vida sem luxo pode significar uma vida alimentada por relacionamentos e família, ao invés de uma vida regada de carros de luxo e ego. Ele experimentou diferentes maneiras de ser, ele respeita religiões alternativas e olha para o mundo com os olhos de uma criança de cinco anos de idade, curioso e com fome. Seu pai ficará feliz também porque ele é bom ao lidar com dinheiro e baixo orçamento.
Este homem aprecia o lar, o conforto de um edredom, a segurança de um tempero de mãe, a conversa fácil de amigos de infância, e a glória imaculada de um banheiro com descarga que funciona. Embora super independente, ele teve tempo para refletir sobre si mesmo e seus relacionamentos. Apesar de seu desejo de viajar, ele conhece e aprecia seus laços com o lar. Ele teve a chance de sentir saudade e de sentirem saudade dele. Por conta disso, ele também entende uma coisa ou duas sobre despedidas. Ele sabe como é ruim a incerteza de sair do conforto de casa, o "até logo" indefinido nos portões de embarque, e ainda assim ele vai sem medo para o desconhecido, porque ele conhece o sentimento de retorno. E que o abraço de saudade é o melhor tipo de abraço do mundo. Ele também sabe que as despedidas são apenas prolongados "até-logo" e que "olá" é tão longe quanto a lan house mais próxima.
Não segure este cara. Deixe ele ir e vá com ele. Se você ainda não viajou, ele vai abrir seus olhos para um mundo além das notícias e da percepção popular. Ele abrirá seus sonhos a possibilidades e realidade. Ele vai te tranquilizar quando você estiver prestes a perder um voo ou quando o pneu do seu carro alugado furar, porque ele sabe que a jornada é que é a aventura. Ele vai fazer graça dos ruídos desagradáveis ​​que você vai fazer se pegar uma intoxicação alimentar. Ele vai fazer você rir do desconforto e ao mesmo tempo vai enxugar sua testa com um pano frio e tentar te curar com água engarrafada. Ele vai fazer você se sentir como se estivesse em casa.
Quando vocês verem alguma coisa bonita, ele vai segurar a sua mão em silêncio, maravilhado pelo lugar onde seus pés estão neste momento e pelo fato de você estar com ele.
Ele vai viver cada segundo intensamente com você porque é assim que ele vive a vida dele. Ele entende que a felicidade nada mais é do que uma série de momentos espontâneos e ele está determinado a viver estes momentos com você o máximo que ele puder. Ele também entende que você precisa ter seus momentos sozinha e que você tem a sua própria lista de sonhos a realizar. Entenda a dele também. Entenda que seus objetivos podem ser diferentes em certo ponto, mas essa independência é a base de uma relação saudável quando ela é mutuamente respeitada. Você pode perdê-lo por um tempo, mas ele sempre vai voltar para a casa trazendo uma história nova ou uma lembrancinha que ele comprou porque aquilo fazia ele lembrar de você, como se aquilo fosse feito especialmente para você e porque ele simplesmente sentiu sua falta. Talvez você se sinta obrigada a fazer o mesmo. Mas garanta que independência está na sua lista e certifique-se que ela está sendo cumprida. A independência manterá sua relação nova e excitante e quando vocês estiverem juntos de novo, isso vai estabelecer um vínculo de confiança inquebrável.
Ele vai te pedir em casamento quando você estiver fora de sua zona de conforto, seja com medo de saltar de paraquedas ou mergulhar com os tubarões, ou até mesmo sentada ao lado de uma pessoa com um odor nada agradável em um ônibus lotado. Não será com um anel de diamante, mas com um anel feito por uma cultura nativa ou inspirado pela natureza.
Você vai se casar em algum lugar incomum, rodeada de poucas pessoas, mas selecionadas, em um momento construído para celebrar a aventura do desconhecido, juntos novamente. Case-se com o homem que viajou o mundo e juntos vocês farão do mundo a casa de vocês. Sua lua-de-mel não será esquecida por ter tido um jantar típico e open-bar na praia, mas será lembrada com magníficas fotos no topo do Kilimanjaro e imortalizada na dor gratificante dos músculos no final de um longo dia de caminhada.
Quando vocês estiverem prontos, vocês terão seus filhos com nomes de personagens que vocês encontraram durante suas viagens, nomes estrangeiros de pessoas que cavaram um lugar especial em seus corações mesmo que por apenas alguns dias. Talvez vocês morem em algum outro país e seus filhos aprenderão um novo idioma e costumes que abram suas mentes desde pequenos. Ele irá apresentar às crianças os livros de Hemingway, a jornada de Santiago, e encorajá-los a viver muito mais do que vocês dois.
Case-se com um homem que viaja e ele ensinará suas crianças sobre a beleza de uma pedra solitária, a história dos Incas e ele vai instigar neles a coragem. Ele vai explicar a eles que mascarar as oportunidades é medo e fará com que ele concordem com isso.
E quando vocês estiverem velhos, vocês se sentarão com seus netos com o álbum de fotografias no colo enquanto eles se transportam para dentro das fotografias, maravilhados pela beleza do mundo e inspirados por tudo o que vocês viveram.
Encontre um homem que viaja porque você merece uma vida de aventuras e possibilidades. Você merece viver de forma leve a abraçar a simplicidade. Você merece olhar para a vida através dos olhos da juventude e com os braços bem abertos. Porque é aí que você encontrará a alegria de viver. E melhor ainda, vocês encontrarão isso juntos. E se não encontrar este cara, viaje. Vá. Abrace isso. Explore o mundo por você mesmo porque a realidade é feita de sonhos.
Post by Partiumundo, fanpage no FacebookInstagram, Canal do Youtube para não perder mais nenhuma dica!

terça-feira, setembro 23, 2014

American Pancakes


No café da manhã típico de filme americanos não pode faltar panqueca. Normalmente coloco cobertura de nutella com pedaços de banana ou m&ms, mas é opcional. A guloseima é uma delicia e super fácil de fazer.

        Receita: 

  • 350 gramas de farinha
  • 3 colheres de chá de fermento em pó
  • 1 colher de sopa de açúcar
  • 1 colher de chá de sal
  • 300 ml de leite
  • 1 ovo
  • 3 colheres de sopa de manteiga derretida
    Modo de preparo:
Em um recipiente coloque todos os ingredientes secos (farinha, fermento, açúcar e sal). Mexa bem com uma colher para misturá-los. Faça um buraquinho no centro da tigela e acrescente o leite, ovo e a manteiga derretida. Mexa bem até que tudo fique bem incorporado e a massa homogênea. Use um fouet (batedor de ovo manual), se necessário.
Aqueça uma frigideira e passe manteiga de modo que seu fundo fique untado. Pegue mais ou menos meia concha da massa e derrame do meio da frigideira (não precisa espalhar a massa pela frigideira como na panqueca convencional). Deixe dourar de um lado. Assim que começar a borbulhar a superfície ou você perceber que a panqueca soltou do fundo da frigideira, vire-a para fritar o outro lado. Retire e sirva. Fica ótima com manteiga, geléia, mel, requeijão e o que mais sua criatividade quiser. Nessa foto, eu coloquei caramelo por cima.

Jacqueline Moraes

domingo, setembro 21, 2014

Tempo



Vou renovar a minha alma,
e você vai se
tornar passado.

Deixe minha alma em paz,
que essa solidão me consome.

Meus pensamentos se afogam
Nas nossas lembranças.



                           Jacqueline Moraes


quinta-feira, setembro 18, 2014

Caramelo


Papéis sobre os brancos
tintas não coloridas
um rabisco ao lado esquerdo.

O ponteiro marcava as 5 da tarde
um pouco atrasado
apenas mais 5 minutos.

Um sorriso tímido
 com medo do desconhecido,
sua garra, era mais forte.

Ela, Helena,
gritava o seu nome
- Não vá embora dad...

Caramelo,
ou um pouco dourado
a cor do tecido dos seus olhos.

Um sonho,
que se tornou realidade.
A realidade, que se tornou 
                                                                                     um sonho.

É você querido, 
que foge em meus sonhos
mesmo nas noites mais escuras
nas remendas mais dolorosas

é você.

C.
Caramelo,
da cor de seus olhos
na cor do meu trico.

Jacqueline Moraes

sábado, setembro 13, 2014

O poeta


Por mais difícil e doloroso que seja
tentei te esquecer
my soul
se desfragmentou na primeira semana do mês.

Me senti, a idiota de seus desejos.
irei me enterrar, nos últimos suspiros
do amor
que um dia eu acreditei ter sido verdade.

Por mais que tenho você aqui,
aqui dentro.
Mesmo sendo doloroso, 
rasgarei meus versos.

Apagarei os meus sonhos,
tem buraco enorme dentro de minha alma.

O pedaço que você levou contigo.
Devolva minha alma,
as lagrimas 
e as tintas da caneta.

Tu desistisses, covarde.

Quem é você mesmo?

Jacqueline Moraes




quarta-feira, setembro 10, 2014

Bar, Beer, Balela

 
O impulso alcoólico mirava
em minha mente.
Precisava consumir-lhe.
 
A solução seria essa
sem você aqui,
é o que me resta.
 
Lá fora a cidade esta cheia
de almas vazias.
Seres robóticos.
 
A destruição me consome
talvez eternamente
pois bem, irei lhe consumir.
 
Jacqueline Moraes
 

Top 5 Rafting




Brotas (SP)
A descida de 6km pelo rio Jacaré-Pepira, dura certa de três horas, incluindo corredeiras de níveis três e quatro em meio a mata nativa. O rio não oferece dificuldade: a descida é indicada para maiores de nove anos.
Onde Ficar: Brotas EcoResort

Santo Amaro da Imperatriz (SP)
O rio Cubatão do Sul oferece excelentes corredeiras. O rafting é praticado em meio a um cenário de montanhas recobertas por mata atlântica.
Onde Ficar: Plaza Caldas da Imperatriz Resort

Rio Novo (Jalapão)
Em um dos últimos rios potáveis do mundo, é possível desfrutar desde uma descida tranquila de três horas, ate um intenso rafting de quatro dias em uma região selvagem.
Onde Ficar: Safari Camp Korubo

Itacaré
O rio de Contas nasce na Chapada Diamantina e percorre cerca de 650 km ate chegar aos cânions de Taboquinhas( distrito de Itacaré). Lá, os níveis variam de três a cinco horas.
Onde Ficar: Pousada Burundanga

Foz do Iguaçu
O trajeto do rafting nas cataratas começa a p[e no Parque Nacional e segue em 2 km de corredeiras de nível médio (3+) e outros dois de aguas calmas, onde é possível nadar e fazer flutuação.
Onde Ficar: Recanto Park Hotel

Jacqueline Moraes

 

Pra longe, longe dos meus braços

 
Te esperei,
por décadas e milênios
para te reencontrar.
 
Foi assim, tão rápido
quando te vi
pela ultima vez.
 
Você corria,
com suas roupas tradicionais
talvez de décadas atrás
atrás de coisas,
que nem eu sei.
 
E novamente,
 
Assim, tão lucido
na plácida cidade.
 
 Jacqueline Moraes

Trama Perfeita


As listras em zigue-zague criadas pela marca italina Missoni nos anos 50 são referencia ate hoje na moda e inspiram fashionistas do mundo todo.

Você pode ate não saber que a italiana Missoni tem mais de meio século de historia, mas reconheceria uma peça da marca. Seu tricô supercolorido, com listras em zigue- zague, se tornou um ícone fashion e referência para vários estilistas (inclusive, adoro usar as listras em minhas coleções). Fundada em 1953 pelo casal Ottavio e Rosita Missoni e atualmente comanda pelas filhas deles, Angela, a marca começou caseira (como a maioria das grandes empresas de moda europeias). Não demorou para que suas tramas caíssem no gosto das italianas.
Nos anos 60,  a Missoni já fazia sucesso no mundo todo. Nessa época, a mulher trocava o ultrafeminino "new look" criado pelo estilista francês Christian Dior, típico da década de 50, por roupas mais leves e fluidas, coloridas e ousadas. Foi quando a Missoni se destacou pela coordenação de muitas cores e formas soltas - e transformou o trabalho artesanal e o tricô em peças sofisticadas. Em 1966, o primeiro desfile da marca ganhou elogio da imprensa. Apenas três anos depois, os americanos aderiram ao estilo, com a ajuda da poderosa de Diana Vreeland, editora da Vogue Americana da época e uma das figuras mais reverenciadas da historia da moda.

 
Desde então, as pecas de tricô coloridas e ricas em texturas fazem a cabeça de muita gente, dando um ar hippie ate para as mais clássicas: a Missoni traçou um estilo de vida ''menos é mais'', que continua em alta. De vestidos a objetos de decoração, a marca serve de inspiração para grandes estilistas, como o americano Marc Jacobs, que bebeu na fonte italiana para conceber sua coleção primavera -verão 2011. O estilista vestiu suas modelos com saias e vestidos longos e soltos, estampados com claras referencias ao desenho da marca italiana - desenho este que também me inspira.
 


Além da trama zigue-zague, outro destaque da marca hoje é Margherita Missoni. Neta dos fundadores, ela é uma autentica it girl, termo usado para garotas bem-nascidas, ricas e que circulam pelos lugares mais badalados do mundo. Embaixadora da marca e estrela das campanhas, ela representa como poucas esse estilo fiel as raízes, mas com toques de modernidade.

Jacqueline Moraes

quarta-feira, setembro 03, 2014

Flowers in your hair

 
Os sentimentos
foram tomando conta,
de mim.
 
Os sonhos
e desejos...
 
Chegou a hora
de recomeçar e conquistar
o im[possível].
 
New York,
Flórida
Califórnia.
 
Tudo pode ser possível,
se você acreditar
em seus sonhos.
 
Jacqueline Moraes